sexta-feira, 28 de março de 2008

Sempre o MAS

"Se não conheço os mapas,
escolho o imprevisto:
qualquer sinal é um bom presságio
".
(Lya Luft)



(photo by Night-Fate -Deviantart)


É tarde e penso sobre o MAS e o seu existir. O MAS nos trás uma ponte entre uma possibilidade hipotética e a total impossibilidade. O MAS parece um comixão eterno, daqueles que nunca fazemos questão de nos livrar.
É sempre assim, o MAS nos escraviza e nos faz pensar demais. É quase sempre o MAS que nos rouba a vontade real de sentir. O MAS nos livra deliberadamente da vontade de tocar e de conhecer. O MAS é ladrão de possibilidades que são reforçadas pela nossa falta de tempo e a falta de olhar. O MAS cria e destrói laços, O MAS me puxa esta noite e me leva a um punhado de interrogações que agarro de mão fechada. É, é o MAS que me estraga e me fortalece. É o MAS que me distancia de mim. É o MAS que me deixa perto de mim. É assim MAS...

E.Alvarez

11 comentários:

Sandrinha disse...

Mas... e se não for apenas isto? E se o Mas também for apenas isto?

Mas vai saber. O mas é tão relativo, que nem sei como explicar o que ele faz com as vidas. Mas... creio que ele deixa brechas para várias explicações. Pode ser bom, Mas não creio que utilizem-o de grande forma.

Ultimamente, utilizo "Enfim", em troca do Mas.

Se cuida.

Beijos.

Rosangela disse...

Bonito o seu blog, Eveline, parabéns! Gostei deste texto; muito significativo mesmo.

Abraços! Rô.

(c)2008 Academia

Alice disse...

Cara, E não é que concordo?! Tanto "mas" que a vida parece que estanca. Mas acredito que o "mas" seja só um pausa entre a dúvida e a certeza. Geralmente não uso Mas. Prefiro usar outros meios. E finalmente vc saiu do Coma Literário.

Just Lovely. :)

Letícia

Camilla Tebet disse...

Então mas... Nada. Vamos parar de falar mas. Aliás, acho que só falamos mas quando não temos mais nada de importante.. ai entra o mas, ou quando a coisa vai mudar de figura.. então em vez de mas falemos também... Ex. Eu gosto de vc, também preciso de um tempo pra mim. Ex 2. Eu vou viajar também queria que vc fosse comigo. Ex 3. Amo-te ainda também acabou.
Não fica melhor? Ou é tudo besteira. Acaba com o mas se te incomoda. Não digo palavras que me incomodam
Hehehe
beijos, adorei a foto, o texto e a música

Ca
www.essepapo.nafoto.net

Esaú disse...

Que lindo...
Adorei, ler você também é um colapso de poesia.

Esaú

Marcílio Garcia disse...

Ei, menina estranha que tanto gosto. Adicionei teu blog ao meu. Beijos claricianos. Aqui como sempre textos lindos e poéticos.

Clarissa Marinho disse...

Gostei dos textos recentes.Bem profundos.
=)

Rossini disse...

O MAS é estrada longa que separa o que fazemos do que queremos fazer ou que somos do que queremos ser. Assim é nostálgico. É também vocabulário repetido, numa incapacidade. "É o MAS que me distancia de mim." e do seu potencial eu.
Numa pontinha de nada, ele deixa de propagar tudo, como epicentro de terremoto falso.

Ronne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ronne disse...

Esse mas é pura insegurança, mas a vida é cheia dessas utopias disfarçadas de segurança.
Ousadia seria enfrentar todos os poréns da vida, mas...mas....mas...mas...mas...mas....mas...mas....mas....mas....

Germano V. Xavier disse...

Ao relento, digo que o MAS além de conjunção, elemento de coesão, marca textual de subjetividade, diz de pipas no céu. Quem empina a arraia não sabe se a terá de volta em seu carretel de linha 10.

Gostei mesmo da análise.

Abraços, Eveline.

Germano
Aparece...