segunda-feira, 31 de março de 2008

Quase Desabores

Há tantos sabores que se perdem por línguas não curiosas e tempo desconexo. Viram quase desabores.

E. Alvarez

12 comentários:

Limbonauta disse...

Não se tratam de disabores, Eveline. É aénas a dificuldade que temos em reconhecermos outros paladares. É o medo do exótico que nos amarga a boca.

Alice disse...

Concordo com o que foi dito acima. A gente tá acostumado com café requentado. Café do dia, café com gosto diferente, fere a língua de quem tem medo.

E já fiquei feliz... entrei aqui e o Chico me falando ....


"Você que inventou a tristeza
Ora, tenha fineza
De desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada
Nesse meu penar
Apesar de você
Amanhã há de ser
Outro dia
Inda pago pra ver
O jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar
Sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir
Antes do que você pensa."

(Chico Buarque)

E etc e tal...

Germano V. Xavier disse...

E o não estar disposto à curiar o desconhecido é ainda mais brutal faca no peito humano...

Morre fácil quem pensa assim...

Abraços meus!

Germano
Aparece...

Sandrinha disse...

E da mesma forma que há o tempo desconexo, há sabores desconexos.

Só que se não se experimenta, não se sabe o que vai mais te agradar.

Aí, eu acho que isto é um dissabor.

Se cuida.

Beijos.

Germano V. Xavier disse...

Agora sei quem é que fica ao relento!

Abraços, Eveline!

Germano

Rosangela disse...

Apreciar as surpresas da vida é uma arte e experimentar comportamentos também.

Abs!

Márcia Leite disse...

Os sabores não se perdem e nem viram dissabores... as línguas não curiosas é que não são vermelhas o suficiente, são essas línguas que se perdem no dissabor do amarelo encardido.

Abraço, Eve.

Camilla Tebet disse...

Concordo com quase tudo o que foi dito ai em cima, mas também com o seu direito de sentir dissabor onde esperava sabor... è assim né???
Um beijo

Pia Fraus disse...

entregar o nosso sabor à essas línguas é permitir-mos ser nada... e nada não existe; melhor seria o NÃO-SER.

até

Paulo Assumpção disse...

Olá, Eveline! Ainda não conhecia esta sua "casa" nova. Promete muitos sabores... A propósito, saboreando o seu bolinho? Então, parabéns pelo aniversário! Saúde e paz!

MIsterioso disse...

PARABÉNS por mais uma primavera...

Narradora disse...

"Línguas não curiosas" e "tempos desconexos" são impedimentos, obstáculos e acho mesmo, que isso pode transformar sabor em dissabor.
:)