terça-feira, 30 de setembro de 2008

Cheiro de Mofo


(Photo by XFarFromHavenX)


"Os rascunhos acumulados. O cheiro do mofo faz coçar o nariz. Espirro atrás do outro. Com nojo setindo o corpo rejeitar estar ali. Sua frio. A ponta dos dedos deseja saber. A vontade de coçar-se juntamente com a impossibilidade de, pois, tem consciência de que seus dedos estão cheios do mofo, das palavras ali esquecidas." (Clarice Lispector)


E quando a gente chega a pensar no cheiro de papel velho que guardamos nas gavetas? Às vezes a gente esquece os papéis lá e o tempo passa. Quando mal percebemos o cheiro de mofo é tão grande que queremos limpar. Passar pano molhado, seco, quente, não importa. O que importa é que queremos nos livrar do cheiro de mofo.
– Amanhã eu vou acordar cedo para limpar essas gavetas – Penso alto.
O dia seguinte chega e você acaba esquecendo. Assim os dias vão passando. Você acorda tarde, vai trabalhar e chega cansado. Dá uma olhada nas gavetas, remexe os papéis, acha umas fotos velhas mas não limpa. Sempre uma desculpa ou outra para não jogar os papéis velhos fora.
Não saber rever ou escolher o que fica, o que sai. Tão difícil é se livrar desse cheiro de mofo.

E. Alvarez

5 comentários:

alice disse...

E o cheiro de mofo é tão forte que anda com a gente em qualquer lugar que se vá. A hell. A curse. Também tento limpar "gavetas", mas as coisas parecem voltar. O lixo tem vida própria.

Eu li.

Thiago Barbalho disse...

Até morangos têm esse cheiro às vezes, ouvi um colega seu dizer.

Anna, Valeska, Aninha, Val... como queira. disse...

Eu e minha rinite alérgica. Dá vontade de espirrar só de ler... :))
Bjos

Arthur fontgaland disse...

não limpar a gaveta com o cheiro fétido do mofo é como não abdicar das memórias(de qualquer natureza)...

Thais Souza disse...

"Tão dificil se livrar desse cheiro de mofo."