quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Que ele seja sinestésico

Ela sempre na correria .Ele vem vindo e ela quer agarrá-lo. Ele é ainda é desconhecido e cheio de possibilidades. Ela não duvida , apenas vai e acredita. Joga-se nos braços dele sem muito pensar, sem planos reais e concretos. Ela não compra agenda pra nunca planejar. Ela deve chorar ainda hoje porque de uma forma ou de outra ele vem e é inevitável uma repulsa ou fuga. Ela não é disso. Ela é. Ela é de touro e é de Chico Buarque. Ela é do frio. Ela é da vida. Ela é do sentir mesmo que a máscara mostre o contrário. Ela é. Ela sabe que ao vir ele trará coisa embrulhadas de presente no mês 9. Ela sabe que vai sorrir e chorar. Ela sabe que é ele que pode mudar a vida dela. Ela sabe e ela vai. Ela vai mudar mas ainda vai continuar a mesma, porque nenhum espaço físico vai mudá-la. Ainda assim ela vai sorrindo discretamente . Ele vem. É ímpar! Que 2009 venha e a aqueça sinestesicamente.

3 comentários:

Marcele Sabbatini disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jordano Casanova disse...

Nada como começar o ano lendo um texto tão poético....realmente muito bom.
Já é um dos meus blogs prediletos..
bjos

Germano Xavier disse...

Que ele venha sem forma de ano, sem forma de tempo, sem idade nem hora. Que apenas venha, e deite sobre nós, atingido por nós, que somos maiores que ele. Que firamos ele, que matemos ele, e que deixemos ele viver.

Um carinho, Eveline.
Continuemos...